Carollices

Archive for April 2008

O Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre (FLISOL) acontece desde 2005 e envolve diversos países da América Latina. O Brasil participa desde a primeira edição e participaremos novamente este ano. Curitiba está inscrita e a organização fica por conta do GUD-BR-PR, o Grupo de Usuários Debian do Paraná. A lista das demais cidades brasileiras participantes está aqui.

O FLISOL2008 acontece no dia 26 de abril de 2008, o último sábado do mês de abril. As regras do FLISOL são simples:

  • Um coordenador por cidade.
  • Um evento por cidade.
  • O evento é gratuito.
  • O evento é mais do que GNU/Linux, é sobre Software Livre.

O FLISOL2008 em Curitiba será nas dependências das Faculdades Santa Cruz, na Rua Pedro Bonat, 103, bairro Novo Mundo. Veja aqui o mapa do local.

Venha participar do festival, instalar GNU/Linux no seu computador ou apenas alguns softwares livres (Firefox, GIMP, etc.), aprender a configurar sua máquina, assistir as palestras, ver as demonstrações, tirar dúvidas, ver como você pode ajudar e conhecer os outros voluntários. Participe!

Update:

Divulgada a lista de palestras do FLISOL2008, serão seis palestras, com uma hora de duração cada uma. A grade de palestras está disponível aqui.

Tags:

Chegamos cedo no primeiro dia de evento. Um pouco de fila, credenciais pegas e lá fomos nós (faw e eu) para o estande. Logo chegaram o Oeslei, o Leslie, o Eder e o Eriberto. Nossa equipe estava reduzida, o skyegg, o Chico e o Andrelop não puderam ir ao evento.

Nesse ano tivemos CD’s, DVD’s, adesivos e camisetas no estande. Os CD’s e DVD’s não nos deram problemas, foram feitos corretamente, e só depois de testados e aprovados, foram para o estande, como deve ser. E sem corujisse da minha parte, as mídias ficaram lindas. :)
Decoramos o letreiro com uma espiral, mais garrafinhas e espirais no estande, banner do diagrama e dos patrocinadores e pronto, estava decorado. Levamos também a BabelBox, que ficou ora no totem, ora no estande. O Classmate rodando Debian também ficou por lá. :)

Logo chegaram as camisetas, liiindas também. Foram feitas num único modelo, com uma cor a mais, além das brancas e pretas, havia vermelhas também, todas com a espiral impressa em gel na frente. Bom, as camisetas acabaram no primeiro dia, mas foi legal foi ver o efeito-espiral no dia seguinte, para onde olhava via uma espiral. :)

Muitas pessoas passaram pelo estande, muita gente foi conhecer, conversar, tirar dúvidas, saber como ajudar, onde buscar documentação, como instalar, configurar coisas, amigos, novos e futuros voluntários, falamos sobre o grupo de usuários no Tocantins, conheci a Mog, vi o Aurélio dando autógrafo de monte no melhor estilo chinelo e camiseta, ganhei mais um incentivo para empacotar, adorei a camiseta rosa-cheguei do GNOME, conheci até o “MEU AMOR”, a outra metade do Eriberto, igualmente engraçadinha. :P

Teve bolo de morango, apito, refri, bagunça, gritos, palmas e meu ouvido dando sinal de ocupado por váááários minutos na festa de 15 anos do Debian, mas foi uma maravilha.

Teve a plenária Debian, com uma retrospectiva de tudo que foi feito até aqui e muita conversa sobre os planos e idéias. To infinity, and beyond! :)

Teve o vizinho de estande cara-de-pau, que reclamou que a ponta de um de nossos banners ofuscava o estande dele, mas que foi rapidinho pegar nossa tomada enquanto estávamos na plenária, sem contar com as cadeiras desaparecidas temporariamente. Tremenda cara-de-pau.

Tá, eu sei, todo mundo já falou isso, mas a rede wireless não funcionava de jeito nenhum, o que gerou uma concorrência grande pelo único cabo de rede disponível no estande, mas sobrevivemos. :)

Adorei o jantar na Galeteria Vêneto e fomos no Marcellu’s, no rodízio de fillet, comi em dobro, para descontar sua parte, tá Chico? :)

O que me assusta um pouco é, como disse a Sula, a sanha assassina por brindes. É uma doidera, não interessa o que seja, mas as pessoas querem brindes, coisas de graça, bugigangas que vão descartar na primeira faxina ou sacolas vazias que mais parecem out-doors, eu disse qualquer coisa. Mas tem que ser de graça. Há os casos que mesmo que você diga que não, não é de graça, ainda fazem cara de paisagem e levam embora como se assim fosse. Chega à beira do absurdo. Se eu ganhasse para o projeto R$1 para cada “como assim cobrando pelo CD??? Não é software livre? que absurdo” que eu ouvi, tinha juntado uma graninha boa. Isso vale para os pedidos de desconto também, claaaro que muito mais numerosos, esse sim dava um pé de meia razoável. Frases como “vocês não dão brindes?” ou “se eu pagar por uma camiseta ganho um CD?” ou ainda “cobrar por um adesivinho, onde já se viu” são rotineiras, e sim, me deixam de mau humor.

Como fazer com que as pessoas entendam que o Debian é uma organização de voluntários dedicada ao desenvolvimento de software livre e que promove os ideais da comunidade de Software Livre? Que não temos uma super empresa cheeeia da grana que faça brindes aos montes para jogarmos para cima nos eventos? Ou que tenha CD de monte, e que todas as pessoas possam levar vários, mesmo que só usem como porta-copos? Não, não temos brindes, não temos desconto, se você levar uma camiseta não ganha CD, ou adesivo ou qualquer outra coisa. Você pode ganhar um grande sorriso de um voluntário feliz porque você entende a importância e a diferença que aqueles seus poucos reais farão para o projeto. :)

Tags: